Edição #57

ALICE COOPER
SENSO DE HUMOR DOENTIO... E UM SERIAL KILLER INSPIRADO EM ARANHAS

O vocalista, que se tornou ícone do Horror Show, está lançando o álbum conceitual Along Came a Spider, que aborda a história de um serial killer que age como uma aranha, e promete retornar ao País em maio

Antonio Rodrigues Junior e Paula Fabri

Dizem que o mal e o bem vivem dentro das pessoas, portanto cabe a cada uma delas definir sua força maior, o que não elimina alguns pensamentos inversos que possam surgir. Com certeza, milhões de "boas" pessoas já pensaram em como seriam se fossem serial killers. O ícone do rock Alice Cooper já chegou a sua conclusão: ele agiria como uma aranha. Essa foi a inspiração para o mais novo álbum de estúdio Along Came a Spider.

O músico completa, este ano, a incrível marca de 40 anos de carreira e 25 álbuns já lançados. O vocalista, que assumiu o nome de sua banda, foi o criador do chamado Horror Show com performances altamente teatrais. As pitadas de humor negro, muito sangue e aparelhos de tortura se tornariam marca registrada da carreira de Alice Cooper.

No novo álbum, Vincent Damon Furnier - nome verdadeiro do vocalista - resgata todas as suas marcas registradas. O disco conceitual aborda a história de um serial killer. O assassino em questão age como uma aranha, por isso o título de Along Came a Spider. O novo CD contém muitos dos elementos do hard rock que o vocalista fez no passado, por isso vêm sendo chamado de um retorno as origens.

O vocalista, que esteve no Brasil pela última vez em 2007, contou com participações de peso no novo disco. Marcam presença no álbum os amigos Slash (guitarrista do Velvet Revolver e ex-Guns N'Roses) e Ozzy Osbourne (ex-vocalista do Black Sabbath). Este último também ajudou a compor a faixa "Wake Up Dead", na qual participa tocando gaita-harmônica.

Em entrevista exclusiva a Comando Rock, o vocalista Alice Cooper falou sobre o lançamento de seu mais novo álbum Along Came a Spider, o conceito sobre um serial killer, a composição das músicas e as participações especiais, comentou as performances teatrais e principalmente suas "mortes" no palco, contou que não planeja comemorar seus 40 anos de carreira e adiantou os planos de retornar ao Brasil em maio e a participação em um longa-metragem sobre vampiros.

(Leia a entrevista completa na versão impressa da Comando Rock que já está nas bancas)

Voltar