Matérias / Entrevistas

MAGNUS ROSÉN
BAIXO DO HAMMERFALL A SERVIÇO DA SOLIDARIEDADE

O músico, que prepara o lançamento de seu quarto álbum solo, esteve na América do Sul realizando uma série de apresentações e workshops beneficentes em prol de crianças carentes

Antonio Rodrigues Junior

Em sua terceira passagem pelo Brasil em carreira solo, o baixista do grupo de heavy metal Hammerfall, Magnus Rosén, esteve promovendo alguns workshops e apresentações em três cidades. O músico, que irá lançar seu novo álbum solo - Arose -, realizou os eventos de forma beneficente, nos quais as entradas foram trocadas por quilos de alimentos.

O membro do HammerFall vem conseguindo uma difícil façanha: se destacar em um conjunto a frente de seu instrumento. Poucos músicos conseguem grandes destaques como baixista. Steve Harris, do Iron Maiden, e Gene Simmons, do Kiss, são raras exceções. Normalmente, os focos das lentes ficam voltados para os vocalistas, guitarristas e, até mesmo, bateristas.

No mês passado, o público brasileiro teve a oportunidade de conferir o motivo deste destaque. Rosén esteve se apresentando em São Paulo, Santos e Rio de Janeiro entre os dias 19 e 24. Entre aulas e apresentações (que contaram com a presença do baterista sueco Birger Löfman), o músico mostrou todo o seu virtuosismo.

"Essa foi a terceira vez que apresentei meu show de baixo no Brasil", conta Rosén. "A turnê foi especialmente para dar às crianças sem teto algum apoio com dinheiro e comida. Eu irei inspirar pessoas a se preocuparem com as outras."

A dedicação foi devido ao fato dos eventos, que também atingiram outros dois países na América do Sul (Peru e Chile), serem totalmente beneficentes. Os ingressos foram trocados por alimentos não perecíveis e repassados a crianças carentes. "Fiquei muito feliz com a oportunidade! Foi minha idéia fazer essa turnê tocando baixo. Eu acho que as pessoas devem entender que se você possui na vida a chance de dar algo a outra então faça isso! É uma ótima oportunidade fazer algo que possa ajudar alguém. Eu sei que eu não posso ajudar muitas pessoas, mas quem sabe inspirar outras a fazer o mesmo."

Apesar de conhecido por integrar um conjunto de heavy metal, Rósen possui uma carreira solo totalmente independente. O baixista já havia colocado no mercado três trabalhos solo e agora prepara o lançamento de Arose. Assim como nos antecessores, o quarto CD deixa de lado o estilo adotado pelo Hammerfall e segue mostrando uma mistura de jazz, funk e fusion.

"Eu comecei a tocar baixo há 26 anos", alega o músico. "E toco estilos diferentes o tempo todo! Hard rock é algo que eu sempre fiz, mas também gosto de canções dos anos 50 a 2004! Isso me inspira a ver o que eu posso encontrar em estilos diferentes! Tenho uma mente aberta para música e para a vida."

O baixista alega não ter tido nenhum tipo de receio sobre a possibilidade dos fãs do Hammerfall não aprovarem a nova empreitada. "Eu acredito que as pessoas gostam de como um instrumentista pode tocar." Apesar disso, ele mesmo admite que não são todos que gostam de tudo, mas que se alguém apreciar ele já ficará satisfeito.

Para a gravação de Arose, o músico contou pela primeira vez com uma banda completa. Nos demais trabalhos, Rosén trouxe apenas alguns integrantes. No caso de Empty Room, de 2003, o baixista tocou sozinho. "Acho que é o único CD duplo no mundo que foi gravado somente com baixo elétrico." Desta vez, ele contou com Emrik Larsson (vocal), Glen Sandgren (guitarra), Imre Daun (bateria) e Jenny Bergren, do Ace of Base, (backing vocal).

"Achei que era hora de tentar fazer um disco com um grupo. É muito bom tentar coisas diferentes e eu sinto que nós gravamos um ótimo álbum. Nós todos conversávamos sobre como iríamos trabalhar e que idéia iríamos usar. Foi muito democrático. Tudo está gravado, mas estou procurando um bom selo para lançá-lo. Arose é minha nova banda solo."

Apesar de estar chegando ao quarto álbum, Magnus Rosén é mesmo conhecido pela sua carreira com o quinteto Hammerfall. Com dez anos de estrada, o grupo sueco já lançou seis trabalhos, entre discos de estúdio, ao vivo e EPs, sendo o último o CD e DVD One Crimson Night.

O álbum lançado no final do ano passado, que traz uma performance de Rosén em um solo de baixo, é um registro ao vivo gravado meses antes na cidade natal do conjunto, Gothenburg, durante a turnê do disco Crimson Thunder. O CD ainda trouxe algumas faixas bônus registradas na América Latina, infelizmente nenhuma no Brasil.

"Fizemos um bom show na Suécia para gravarmos esse DVD, mas tivemos algumas faixas na América Latina no CD duplo. O sentimento foi muito forte e bom, então foi algo positivo pôr essas canções bônus. Tem sempre tantas coisas que precisam estar certas quando uma banda grava. Eu acho que todos queríamos que tivéssemos gravações de todos os países que tocamos, mas dessa vez foi assim."

Atualmente, o quinteto prepara um novo disco de estúdio, que já tem previsão de lançamento para março do ano que vem. Ele ainda não tem nome, porém as gravações já iniciaram. "O som será mais pesado e forte nesse álbum. Eu acabei de gravar o baixo na Dinamarca e acredito que será um ótimo CD."

O baixista também participou da gravação de trabalhos solos de alguns reconhecidos artistas. O primeiro foi o disco recém lançado por aqui Out to Every Nation do vocalista Jorn Lande (atual integrante do MasterPlan). O músico também irá gravar o próximo CD do vocalista do Therion, Mats Levén, que também tocou ao lado do renomado guitarrista Yngwie Malmsteen. E ainda garante: "Tenho muitas idéias para o futuro!"

Voltar