Matérias / Entrevistas

DORO
A RAINHA DO METAL TROUXE SEU PRESENTE DE PÁSCOA AOS HEADBANGERS

(Carioca Club, São Paulo, 24/04/2011)

Marcos Franke

Este ano, o domingo de Páscoa ficou marcado na história dos fãs do rock pesado presentes no Carioca Club: afinal, foi a data escolhida para o show da "Metal Queen" Doro Pesch, como é conhecida a vocalista pela sua antiga banda Warlock. Pela primeira vez no Brasil como atração principal (a loira já havia sido uma das atrações do Live ´N´ Louder, em 2006), Doro está longe de contar por aqui com a legião de fãs que merecia em quantidade. Sem falar de sua importância na história do metal, a empolgação da carismática cantora fica acima da média até mesmo do comportamento do público durante um show: a energia da "frontwoman" é realmente fora de série.

O show teve início com "Earthshaker Rock". O set prosseguiu com "I Rule the Ruins", "East Meets West" e "Hellbound", mostrando Doro e seu baixista em grande sintonia. Abrindo caminho para seu mais novo álbum, foi executada "The Night Of The Warlock", seguida por "Burning The Witches" e "Running From The Devil".

Prestando uma homenagem ao seu falecido amigo Ronnie James Dio, Doro (após um breve discurso) cantou "Egypt (The Chains Are On)" recebida com muita emoção pelo público e logo deu espaço para a balada "Für Immer", que foi, provavelmente, a música mais emocionante da noite, pois em português o título significa "Para Sempre", provavelmente também dedicada a Dio.

Saindo da calmaria, "Wacken Hymne (We are the Metalheads)" e a conhecida "True As Steel" reanimaram o público. Doro mostrou-se tão animada como se fosse a primeira música executada naquela noite. Após a "tempestade" veio a "calmaria" com um grande solo de bateria, tendo trechos de "Run to the Hills" (Iron Maiden) e "Shout it Loud" (Kiss). O grupo retornou ao palco para "Metal Racer", "Haunted Heart" e "You're My Family".

Mais um cover foi tocado: "Breaking The Law", do Judas Priest. Porém, não mais agitada que a singular "All We Are", o maior hit da cantora.

Para o bis, foram escolhidas faixas mais "rebuscadas" como "Fight For Rock", "Love Me In Black" e "Metal Tango", todas do Warlock. Para quem achava que tinha terminado, o conjunto voltou para a saideira com "Unholy Love". Certamente os pouco mais de mil headbangers que foram ao Carioca Club esperavam ver uma lenda e saíram com a constatação de que essa lenda é real. A mulher canta demais! Doro, ao vivo, se transforma em algo incomum no palco. Carismática e imponente, conquista a idolatria - mais do que justa - de seu público.

Voltar